Diários de George Orwell são publicados em blog em tempo real


Em seu livro 1984, George Orwell abordou um mundo sem privacidade, controlado pelo “Grande irmão”. Décadas e várias edições de “Big Brother” depois, qual não seria a surpresa do escritor inglês ao ver seus diários publicados na internet? A iniciativa é do instituto britânico Orwell Prize, que passará quatro anos alimentando o blog Orwell Diaries. Os textos, escritos entre agosto de 1938 e outubro de 1942, serão postados em tempo real, 70 anos depois que as primeiras palavras foram escritas por Orwell, diz texto no blog. A idéia de publicar os escritos é fazer os leitores enxergarem o mundo pelas lentes do escritor. FONTE: Folha de São Paulo – 03/09/2008 – por Daniela Arrais

Folclorista brasileiro ganha blog


Luís da Câmara Cascudo (1898-1986): folclorista, jornalista, historiador, etnógrafo, biólogo e, desde 2005, blogueiro. O Blog do Cascudo reproduz textos da coluna Acta Diurna, assinada diariamente por Cascudo no jornal “A República” entre 1939 e 1960 – a periodicidade do site, porém, é semanal. Quem mantém o blog é Daliana Cascudo, neta do folclorista, informa coluna da Folha de São Paulo. FONTE: Folha de São Paulo – 03/09/2008

Acompanhe viagens literárias on-line


Ler é uma viagem, já diriam entusiastas da literatura ou campanhas de incentivo aos livros. Cada leitor, com seu jeito particular de assimilar as linhas, transforma as palavras escritas no papel em imaginação, percorrendo um caminho particular para as aventuras inventadas pelos escritores. Para tirar as viagens do plano da imaginação e apresentá-las de forma geográfica, a Good Magazine criou o Wanderlust, um mapa que retrata os longos caminhos – tanto factuais quanto ficcionais – percorridos por grandes expoentes da literatura de aventura. De Júlio Verne, com seu A volta ao mundo em 80 dias, a Jack Kerouak, com o cultuado Pé na estrada, passando pelos desbravamentos de Cristóvão Colombo em 1492, o site tem 23 gráficos interativos, feitos em Flash, que permitem ao leitor compreender geograficamente as trajetórias. Para dar início à viagem, acesse o site. FONTE: Folha de São Paulo – 03/09/2008 – por Daniela Arrais

Site para aspirantes a escritos está no ar


A HarperCollins lançou oficialmente o seu site de rede social Authonomy, voltado para aspirantes a escritores. O site convida os usuários a enviar os seus manuscritos online. A cada membro é dada uma estante virtual com cinco espaços para serem preenchidos por seu livro favorito, projetados a partir do site. As observações são classificadas pelo indivíduo. Usuários com os mais altos níveis classificatórios serão considerados para a publicação pelos editores da HarperCollins. Victoria Barnsley, executivo-chefe da HarperCollins e editor, disse que  está muito impressionado com a qualidade do site. “A HarperCollins, está sempre à procura de novos talentos e esta é outra maneira de encontrá-los. Todas as nossas iniciativas digitais são destinadas a uma meta – expandir nossa rede de talentos e ganhar mais conteúdo lá fora, para a leitura pública.” Nova pesquisa entre os membros apontou que 44 dos inquiridos assumiu escrever porque gostaria de se tornar bem sucedido e obter publicação. Apenas 2 disse que tem interesse no dinheiro. FONTE: The Bookseller – 03/09/2008 – por Graeme Neill

Pequenas editoras ofereceram novas tecnologias


Os editores independentes terão um acesso mais fácil às tecnologias digitais do livro através de um novo serviço oferecido pela Perseus Books Group, resultado de acordos entre esta e outras empresas de tecnologia. O novo serviço, chamado Constellation, permitirá que os editores independentes façam uso de leitores eletrônicos, pesquisa de livro digital, de impressão sob demanda e outros formatos digitais, a taxas negociadas pela Perseus. Ao contrário de grandes editores, pequenos normalmente têm falta de recursos para utilizar a tecnologia digital. David Steinberger, presidente e diretor executivo da Perseus, afirmou que, ao usar o Constellation, editores independentes devem poder tornar rapidamente os seus livros disponíveis em vários formatos digitais, permitindo-lhes concorrer com o mesmo nível tecnológico e com a mesma rapidez e flexibilidade das grandes empresas. Muitos analistas vêem a tecnologia digital como uma das poucas áreas em grande crescimento da indústria do livro. FONTE: The New York Times (EUA) – 03/09/2008 – por Julie Bosman