Internet cria legião de autores instantâneos


Ter um livro publicado não é tão difícil quanto antigamente. Agora, as tecnologias de impressão e a Internet estão transformando em autores publicados uma legiões de escritores aspirantes que, por muitos anos poderiam nunca ter a chance de ver seu trabalho impresso.

O que torna viável este tipo de publicação é a Internet, que dá a autores instantâneos acesso a um público que divide o mesmo interesse, não importa o quão obscuro. Autores usam comunidades online como blogs, redes sociais e outros para fazer publicidade.

A vasta maioria dos autores instantâneos vende apenas algumas dezenas de cópias, mas a publicação por unidade está permitindo que milhares de pessoas realizem sua ambição de ser escritor.

A editora por unidade Lulu.com já publicou 236 mil livros desde que abriu em 2002, e o número de vendas mensais cresceu a cada mês em 2007, chegando a 14.745 em novembro. A Amazon.com começou a vender publicações por unidade no meio do ano passado, através do CreateSpace, que já permitia que cineastas e músicos fizessem seus próprios DVDs e CDs.

Os programas são fáceis de usar. Autores selecionam as opções básicas, incluindo o tamanho do livro, tipo de encadernamento e se o livro terá ou não capa dura. Depois o original é enviado, usuários vão a uma página onde selecionam a fonte e design da capa. Mesmo depois de uma impressão, é possível voltar e corrigir erros de digitação para as próximas edições.

Ao contrário de outros tipos de publicação, em que autores pagam para ter uma tiragem feita em impressoras tradicionais, a publicação por unidade não custa um centavo ao autor.

As editoras produzem livros apenas depois de encomendados e pagos, eliminando a necessidade de estoques. Elas cobram por impressão ou porcentagem nas vendas, e estabelecem o sistema de pagamento, as lojas online e as ferramentoas de marketing na web.

Alguns autores publicam livros por unidade na esperança de serem vistos por uma grande editora. Mas nem todos os que utilizam este tipo de publicação querem ser famosos. O sistema também permite que pequenas empresas façam brochuras de alto nível e roteiristas vendam seus scripts, além da possiblidade de fazer livros de casamento e outros eventos para amigos e a família.

Estou impressionando por ter o livro em minhas mãos“, disse Catherine Dyer, 49 anos, de Atlanta, que escreveu um livro de receitas com suas irmãs no Lulu.com. “Eu sabia que tentar conseguir uma editora convencional levaria anos. Com isto, eu sabia que pelo menos teria uma cópia em minhas mãos“.

Terra | Tecnologia | 02 de janeiro de 2008 | 17h09