Aplicativo usa câmera do celular para resolver equações matemáticas


Um aplicativo lançado nesta semana pela empresa europeia MicroBlink permite usar a câmera do celular para resolver equações matemáticas e demonstrar passo a passo como fazê-lo.

Disponível para iOS e Windows Phone, o PhotoMath é descrito como uma “câmera-calculadora inteligente”, que escaneia a foto de uma equação num livro e mostra o resultado instantaneamente.

O app também mostra as instruções de como resolvê-la, para aqueles que não querem apenas terminar a lição de casa mais rápido, mas entender a lógica por trás das operações.

Aplicativo PhotoMath escaneia fotos do livro de matemática, por exemplo, e resolve equações

Aplicativo PhotoMath escaneia fotos do livro de matemática, por exemplo, e resolve equações

O PhotoMath não entende manuscritos e só suporta um número limitado de operações por enquanto. Deve ficar mais complexo no futuro, a empresa diz no site do app.

Há dois anos, a MicroBlink desenvolve softwares de reconhecimento de texto. A start-up, que licencia esse tipo de tecnologia, tem também em seu portfólio um leitor de códigos de barra e uma solução para pagar contas pelo celular.

Publicado originalmente por Folha de S.Paulo | 22/10/2014, às 19h03

Dicas de marketing digital para tornar seu eBook visível


POR Marina Pastore | Publicado originalmente por  COLOFÃO | 22 de outubro de 2014

No maravilhoso mundo dos livros impressos, existe um conjunto de ações que já são rotina quando se trata do marketing de determinado título: noites de autógrafo, anúncios, envio de provas a jornalistas, contato com blogs, negociação de espaço em livrarias, enfim. Já no mundo dos e-books, as práticas ainda não são tão rotina assim: afinal, quando se trata de um lançamento em formato impresso e digital, presume-se que as ações planejadas para o primeiro sirvam também para divulgar o segundo; quando se trata de um título lançado exclusivamente em e-book, nosso mercado ainda pequeno torna difícil justificar um investimento razoável. No primeiro caso, é mesmo importante que as equipes de marketing e vendas do impresso e do digital trabalhem em conjunto, divulgando a obra e o autor independentemente do formato [especialmente quando o livro é lançado simultaneamente em e-book]. No segundo, temos um problema.

Como eu repito basicamente em todo post [desculpem!], embora seja mais fácil tornar um e-book disponível [no sentido de que a livraria não precisa decidir quantos exemplares de quais títulos ela vai ou não estocar], torná-lovisível é sempre um desafio. Numa livraria física, depois que passa o esforço de divulgação que acompanha o lançamento, um livro costuma sair das pilhas de destaque nas mesas da frente da loja e ir passando para lugares cada vez menos nobres, até chegar ao seu cantinho na prateleira – onde só sua lombada fica visível, mas ele ainda pode ser descoberto por alguém que esteja casualmente passando os olhos por lá. Já numa livraria virtual, se um livro não estiver na [concorridíssima] página inicial, com a exceção de ações pontuais [como newsletters, em geral ligadas a descontos], o leitor tem basicamente três jeitos de chegar até ele: buscar especificamente pelo autor ou título, vê-lo na seção de obras relacionadas a outro livro ou navegar em certa categoria e acabar se deparando com ele.

Vamos examinar estas possibilidades. A primeira, levar as pessoas a procurar o seu livro, é o cenário ideal. Aqui, a chance de conseguir um cliente realmente interessado – e não necessariamente motivado apenas pelo preço – é maior. Porém, o investimento necessário também é maior, já que, é claro, o leitor precisa ouvir falar do livro por outros meios antes de buscá-lo. Neste ponto, ações online [posts em redes sociais, booktrailers, resenhas em blogs] têm certa vantagem por já estarem no ambiente onde a busca será feita: abrir uma nova aba para fazer a busca é bem mais imediato do que, por exemplo, ver um anúncio numa revista impressa e pensar em procurar aquele livro mais tarde. Mas nem por isso as mídias tradicionais devem ser esquecidas: o fato de a própria Amazon ter uma seção do site [ainda que meio escondida] dedicada a livros que apareceram em jornais e revistas é um sinal de que elas têm pelo menos algum impacto sobre as vendas.

Sobre o segundo ponto, vou ter que voltar à minha obsessão e falar de metadados [desculpem! [2]]. Hoje em dia, bons algoritmos encontram obras relacionadas não apenas calculando quais itens foram mais comprados juntos, mas também avaliando quais têm temas em comum, quais estão na mesma categoria, quais são do mesmo autor, enfim. Por isso as palavras-chave [pertinentes, ok? Não adianta colocar “Cinquenta tons de cinza” nas palavras-chave de tudo só para ser popular] e as categorias são tão importantes. Na hora de defini-las, é sempre bom fazer uma busca pelos termos nas livrarias para ver o que aparece. Na dúvida entre duas palavras-chave ou categorias, a dica é ver quais livros aparecem em cada uma. Entre quais outros livros você quer que o seu livro esteja? Parece um detalhe, mas é uma ferramenta de marketing poderosa no ambiente digital.

Nem sempre funciona, mas tudo bem

Nem sempre funciona, mas tudo bem

Por fim, vamos à terceira possibilidade: a de um cliente que não saiba exatamente o que quer e por isso faz uma busca mais genérica ou vai navegar pelos livros de determinada categoria. Para que o seu livro tenha mais chances de ser escolhido nesta situação, ele precisa de: 1] um bom título, 2] uma boa capa [adaptada para o digital, se necessário/possível] e 3] de preferência, estar entre os primeiros resultados – quer dizer, a página 37 de cada categoria certamente é menos visualizada do que a 1. Aqui temos uma bela de uma questão Tostines [o livro vende mais porque está em destaque ou está em destaque porque vende mais?], mas é possível dar uma ajudinha com bons metadados [de novo. Desculpem! [3]] e ações de marketing mais pontuais. Em primeiro lugar, é claro que nem todos os livros permitem isso, mas, em geral, é bom escolher a categoria mais específica possível por causa do seguinte:

Vejam que o livro ganhou uma bela faixinha de primeiro lugar, mesmo estando nesta posição só dentro de uma categoria menor – é possível que ele nem estivesse tão bem no ranking geral de mais vendidos, mas o fato de estar no topo de uma categoria diz algo ao leitor [e ao todo-poderoso algoritmo]. Sobre ações pontuais, aqui entram os descontos, que encaro como uma ferramenta de marketing justamente por isso: mesmo que o desempenho do livro não melhore tanto assim, qualquer venda a mais gerada no período da promoção não só ajuda na divulgação do título naquele momento, mas também pode fazer com que ele se torne mais visível mesmo depois de voltar ao preço normal. Num caso mais ousado, disponibilizar um livro gratuitamente por um período curto funciona ainda melhor para isso – especialmente se ele fizer parte de uma série, incentivando o leitor a conhecê-la e depois, se gostar, comprar os próximos volumes.

Esta última estratégia serve para ilustrar um ponto importante: oferecer algum tipo de conteúdo gratuito tem se tornado especialmente relevante para a estratégia das editoras [que, afinal, precisam se diferenciar justamente pela qualidade do conteúdo que produzem]. O marketing digital vai além de fazer perfis nas redes sociais e publicar posts chamando para a compra dos seus livros o tempo todo; é por isso que é cada vez mais comum que editoras não só divulguem o conteúdo de revistas, jornais, blogs e outros sites, mas também mantenham seus próprios blogs com textos que nem sempre são diretamente relacionados aos livros que publicam. Este é um trabalho constante de construção de marca, que, se bem feito, facilita e fortalece qualquer outra ação de marketing que venha depois.

POR Marina Pastore | Publicado originalmente por COLOFÃO | 22 de outubro de 2014

Marina Pastore

Marina Pastore

Marina Pastore é jornalista formada pela Escola de Comunicações e Artes da USP. Descobriu os e-books ainda na faculdade, em 2011, e foi amor ao primeiro download. Vem trabalhando com eles desde então, integrando o departamento de livros digitais da Companhia das Letras. Seu maior orgulhinho profissional foi ver toda a obra de seu autor preferido e muso inspirador, Italo Calvino, disponível em formato digital. Sua vida é basicamente um grande episódio de Seinfeld, mas com menos sucrilhos e mais [muito mais] gifs animados.

Site ajuda pais a escolherem melhor livro para seus filhos


Hábito da leitura deve ser estimulado desde cedo | FOTO: Salão FNLIJ do Livro para Crianças e Jovens

Hábito da leitura deve ser estimulado desde cedo | FOTO: Salão FNLIJ do Livro para Crianças e Jovens

O contato com livros desde o início da vida ajuda a criar nas crianças o hábito da leitura. Os benefícios, quando elas começam a ler sozinhas, vão desde o estímulo à criatividade e à imaginação ao aumento do vocabulário e fixação da grafia correta das palavras. E foi inspirado neste mundo de possibilidades que os livros geram, que um grupo se uniu na criação de um espaço virtual voltado inteiramente aos pais dos amantes mirins desta arte.

O site A Taba reúne estudiosos de literatura infantil e juvenil, professores, pais, bibliotecários e contadores de histórias que indicam e resenham livros infantis. Além disso, há fóruns de discussão e um clube de leitores, onde todo mês livros previamente selecionados são enviados para os assinantes.

O espaço é cuidadoso em separar as indicações por tipos de leitores: iniciante, autônomo ou experiente. Os mais de 900 títulos indicados ajudam os pais e educadores a fazerem uma escolha de qualidade em meio à oferta massiva de publicações do gênero. De acordo com A Taba, por ano, no Brasil, são lançados cerca de 3.000 títulos diferentes voltados para o público infantil e juvenil. “É na infância que se dá o primeiro contato com a linguagem literária. É preciso atentar para a qualidade daquilo que oferecemos às nossas crianças nessa iniciação ao universo literário”, define o site.

Bruna Ramos | Portal EBC | 22/10/2014, às 11h41

Biblioteca de Tupã [SP] empresta eBooks para incentivar a leitura


A biblioteca pública de Tupã, no interior de São Paulo, recorre à tecnologia para incentivar a leitura entre os moradores da cidade. O leitor pode acessar a biblioteca e ler de onde estiver, no computador, tablet e até no celular. Animados com a repercussão do projeto, os responsáveis pela biblioteca já falam em ampliar oacervo e o número de leitores atendidos.

G1 | 22/10/2014

Universidade do MT testa biblioteca virtual de saúde


A Universidade do Estado de Mato Grosso [Unemat] oferece aos alunos e professores dos cursos da Faculdade de Ciências da Saúde o acesso ao E-volution desde o último dia 6 em caráter de teste, que terá duração de 45 dias.

Esta é a única biblioteca virtual com conteúdo multimídia disponível no Brasil nas áreas da saúde e inteiramente em português.

São centenas de livros disponíveis e as mais recentes edições dos livros adotados como referência no Brasil e em todo o mundo, como Guyton & Hall Tratado de Fisiologia Básica, Netter Atlas de Anatomia Humana, Rang & Dale Farmacologia, entre outros.

Com esta nova opção de acesso ao conhecimento, a Unemat permite que sua comunidade acadêmica utilize um novo recurso para o aprendizado inteiramente online e de forma moderna e interativa.

A Universidade, através do E-volution, permite que todos os estudantes acessem os livros da Editora Elsevier, ao mesmo tempo e sempre que desejarem.

Assim a Unemat disponibiliza aos acadêmicos da Faculdade de Ciências da Saúde a possibilidade de aprender, estudar e se preparar melhor para suas carreiras ao acessar centenas de e-books em qualquer lugar que tenham acesso à internet, como na sala de aula, em casa ou no transporte.

De acordo com diretora-executiva da Editora Elsevier, Lutiani Guimarães, “o usuário pode fazer suas próprias anotações nas páginas, marcar os textos com adesivos virtuais nas páginas que são mais importantes para seu estudo e consultar tudo isto rapidamente na hora em que precisar. Basta fazer a busca e localizar rapidamente”, explica a diretora.

Todas as anotações, marcadores de páginas ou de texto serão vistos apenas pelo usuário que os fizer. Vídeos, animações, bancos de imagens, testes online com perguntas e respostas e muitos outros recursos ajudam a compreender mais rápido e fixar melhor o que está estudando”, disse Lutiani.

Para acessar, basta entrar no site http://www.evolution.com.br em qualquer computador institucional da Unemat; clicar em ‘Cadastre-se’, preencher o cadastro e clicar em ‘Enviar’.

Para usar o E-volution, após o registro, basta entrar no site em qualquer computador, preencher usuário e senha cadastrados e clicar em Login.

Midia News | 21/10/2014 | DA UNEMAT

Prefeituras do Ceará aderem às bibliotecas digitais


O estado do Ceará já tem pelo menos 19 bibliotecas de acesso público prontas para começar a emprestar eBooks virtualmente, um serviço apontado por especialistas como solução para atrair os leitores mais jovens e estancar o esvaziamento que se verifica nos últimos anos. O estado aparece entre os cinco com maior número de bibliotecas digitais instaladas.

A novidade chegou, este ano, ao Brasil e já está presente em 26 estados brasileiros. No Ceará, existem bibliotecas digitais em 15 municípios, sendo três na capital Fortaleza e duas localizadas em Farias Brito e Itapipoca. Destacam-se ainda as cidades de Aruaru e Paraipaba, seguindo o exemplo do Estado, que ocupam a primeira posição, em número de leitores cadastrados, na Região Nordeste.

Os usuários podem pegar emprestados os livros digitais de qualquer lugar com internet e ler no computador, tablet, e-reader e até no celular, inclusive depois de desconectar [desde que o texto seja mantido na tela]. Para se cadastrar, os interessados devem ir pessoalmente a qualquer uma dessas bibliotecas e já pegar emprestados até três eBooks simultâneos pelo prazo de 15 dias, podendo renovar uma vez.

Por enquanto, estão à disposição dos leitores 1.000 eBooks de autores nacionais e estrangeiros em domínio público, da Coleção de Clássicos da Árvore de Livros, a plataforma de empréstimo digital que está operando nessas cidades. Futuramente, as bibliotecas poderão ampliar seu catálogo e passar a oferecer outros 14 mil títulos, incluindo lançamentos atuais.

A chegada das bibliotecas digitais ao estado do Ceará é o resultado de uma parceria entre a Associação Brasileira de Municípios [ABM], Observatório do Livro e da Leitura, Fundação Palavra Mágica e a Árvore S/A. “Investimentos em tecnologia costumam ser altos e, mesmo assim, rapidamente ficam defasados”, afirma o diretor do Observatório do Livro e da Leitura, Galeno Amorim, ex-presidente da Fundação Biblioteca Nacional.

Segundo ele, a iniciativa deve beneficiar principalmente as pequenas e médias cidades que, em geral, costumam ter dificuldades para aderir e implementar inovações tecnológicas justamente por causa dos custos. Para o presidente da ABM, Eduardo Tadeu Pereira, garantir maior acesso das populações aos livros “é um importante caminho para proporcionar avanços na área da educação e também democratizar o acesso à leitura”.

O acordo prevê também a manutenção da plataforma e o treinamento virtual dos bibliotecários e técnicos das bibliotecas municipais e comunitárias. As prefeituras e bibliotecas interessadas em receber gratuitamente sua biblioteca digital podem entrar em contato pelo e-mail bibliotecas@arvoredelivros.com.br.

Associação Brasileira de Municípios | 21/10/2014

Vaticano anuncia app para seus manuscritos


Biblioteca do Vaticano

Biblioteca do Vaticano

Mais de quatro mil manuscritos e documentos da Biblioteca Apostólica Vaticana poderão ser acessados, em alta resolução, através de um aplicativo lançado pela empresa japonesa NTT Data.

De acordo com a companhia, os documentos, disponíveis atualmente no site oficial da Biblioteca [www.vaticanlibrary.va], se ajustarão ao visor do dispositivo móvel escolhido pelo usuário.

Mas a empresa ainda trabalha no desenvolvimento de uma ferramenta que permitirá buscas eficazes pelos conteúdos. Essa função deverá ser lançada até o fim do ano. O prefeito da Biblioteca Apostólica, Cesare Pasini, disse que o app contribui “para a missão de tornar cada vez mais conhecidos os tesouros da humanidade conservados” na instituição.

Publicado originalmente pleo Jornal do Brasil | Com informações da Agência ANSA | 20/10/2014

eBooks, etc.


A 2.ª edição da Conferência Revolução e-Book, a ser realizada dia 5, será transmitida por streaming [com inscrições mais baratas]. Entre os palestrantes, Natalia Montuori [Amazon], Amanda Ramalho [Scielo], Cindy Leopoldo [Intrínseca] e Marcelo Gioia [Bookwire].

*

A Bookwire é uma distribuidora de livros digitais com operação na Alemanha, Rússia, Espanha e, mais recentemente, no Brasil.

*

E a Amazon, que acaba de lançar Eles Eram Muito Cavalos, de Luiz Ruffato, em inglês, prepara as próximas traduções: Elza, a Garota, de Sérgio Rodrigues, sai dia 21 e Uma Duas, de Eliane Brum, dia 18.

Por Maria Fernanda Rodrigues | O Estado de S. Paulo | 17 Outubro 2014, às 20:30

Gamificação no ambiente editorial e educacional


Curso realizado pelo Alt+Tab vai esmiuçar por que os games se tornaram uma das maiores indústrias de conteúdo do mundo

Até a próxima segunda-feira [20], quem estiver interessado no curso Para além da gamificação, organizado pelo ALT+TAB pode se inscrever com descontos. O curso, ministrado por David O. Lemes – chefe do departamento de computação da PUC-SP -, vai mostrar por que os games se tornaram uma das maiores indústrias de conteúdo do século 21, além de provocar os participantes a se apropriarem dos conteúdos do universo dos jogos para repensar práticas no segmento editorial e educacional. O curso acontece no dia 1 de novembro, na House of Work [Rua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 27 – São Paulo/SP], das 9h às 18h. O investimento é de R$ 600 [inscrições feitas até dia 20, R$ 570], que pode ser parcelado em duas vezes. Associados da Abrelivro, Abeu, Abrale e Libre têm descontos especiais. Para acessar o programa completo do curso, clique aqui.

PublishNews | 16/10/2014

O livro mais marcante para os brasileiros no Facebook


Títulos da saga bateram o bestseller ‘A Culpa é das Estrelas’ e a ‘Bíblia’.Nos EUA, ‘O Alquimista’ está no top 20 dos livros mais marcantes.

Livro 'Harry Potter e o Cálice de Fogo', de J.K. Rowling

Livro ‘Harry Potter e o Cálice de Fogo’, de J.K. Rowling

Os títulos da saga “Harry Potter”, de J.K. Rowling, lideram a lista de livros que mais marcaram os usuários brasileiros do Facebook, após deixar o best-seller “A Culpa é das Estrelas”, de John Green, para trás.

A lista foi elaborada pela rede social após uma brincadeira circular no site. Um usuário desafiava um amigo a enumerar dez livros que o marcaram. Há um mês, o Facebook compilou as sugestões feitas em inglês e elaborou uma lista dominada por atualizações feitas por norte-americanos em inglês.

Os títulos da série “Harry Potter” também foram os mais citados. No top 20, o único brasileiro a aparecer é “O Alquimista”, de Paulo Coelho, que ocupa a 20ª posição.

Conforme o desafio se espalhou pela rede, o Facebook avaliou as menções feitas em outras línguas, como o português, italiano, espanhol e francês.

De acordo com a empresa, o levantamento das citações de livros foi feito por meio de uma técnica de agrupamento de dados anônimos. Essas informações foram analisadas para que trechos comuns de textos que pudessem designar livros fossem identificados.

No Brasil, a idade média dos participantes do desafio era de 28 anos e 72% dos usuários que caíram na brincadeira eram mulheres.

1 – Harry Potter – J.K. Rowling
2 – A Culpa é das Estrelas – John Green
3 – O Pequeno Príncipe – Antoine de Saint-Exupéry
4 – A menina que roubava livros – Markus Zusak
5 – A Cabana – William P. Young
6 – Caçador de Pipas – Khaled Hosseini
7 – Jogos Vorazes – Suzanne Collins
8 – A Seleção – Kiera Cass
9 – Coração de Tinta – Cornelia Funke
10 – Bíblia

Veja a versão lista dos livros que mais marcaram usuários dos EUA e Reino Unido:

1 – Série “Harry Potter” – J.K. Rowling
2 – O Sol É Para Todos – Harper Lee
3 – O Senhor dos Anéis – JRR Tolkien
4 – O Hobbit – JRR Tolkien
5 – Orgulho e Preconceito – Jane Austen
6 – Bíblia
7 – Guia do Mochileiro das Galáxias – Douglas Adams
8 – Trilogia Jogos Vorazes – Suzanne Collins
9 – O Apanhador no Campo de Centeio – J.D. Salinger
10 – As Crônicas de Nárnia – C.S. Lewis
11 – O Grande Gatsby – F. Scott Fitzgerald
12 – 1984 – George Orwell
13 – Mulherzinhas – Louisa May Alcott
14 – Jane Eyre – Charlotte Bronte
15 – A Dança da Morte – Stephen King
16 – E o Vento Levou – Margaret Mitchell
17 – Uma Dobra no Tempo – Madeleine L’Engle
18 – O Conto da Aia – Margaret Atwood
19 – O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa – C.S. Lewis
20 – O Alquimista – Paulo Coelho

Publicado originalmente em Portal G1 | 16/10/2014