Archive for julho \29\UTC 2008

Livros eletrônicos da Penguin seguem nos EUA


Penguim promete 1.500 títulos bestsellers disponíveis em formato eletrônico, juntamente com todos os seus livros novos, no momento em que o Sony, que chega em setembro, estiver no mercado. O anúncio veio assim que editores disseram que o Penguin Group US já tinha ultrapassado a sua venda total de livros eletrônicos de 2007 nos primeiros quatro meses deste ano. Diretor da Digital, Genevieve Shore, comentou: “Nós sabemos da nossa experiência nos Estados Unidos que há um apetite de consumo por livros eletrônicos uma vez que um dispositivo de leitura está disponível.” A lista de e-books da Penguin para setembro irá incluir títulos atuais como “Devil May Care” de Sebastian Faulk e Lesley Pearse Gypsys, bem como de grandes nomes como Marian Keyes e Nick Hornby, clássicos populares como Jane Austen e Charles Dickens, e novos títulos de alto-perfil. FONTE: The Bookseller – 29/07/2008 – por Benedicte Page

Novo site promete críticas de livros em formato de torpedo


Se você não consegue dizer alguma coisa em 160 caracteres ou menos, então esta novidade não é para você. A onda de mensagens de texto está agora se movendo para outras formas de comunicação, como o Twitter, que aceita até 140 caracteres. Mas o lançamento da vez é o Blippr, um site onde você pode fazer críticas de livros, jogos, música e filmes no formato de torpedo SMS. O novo site de micro-críticas segue os exemplos do Twitter, Facebook and FriendFeed. Assim como o Twitter, o internauta pode saber o que seus amigos estão “blipping” e atualizar seu status com o que você está lendo, assistindo, jogando ou ouvindo. Agora, todo mundo pode ser um crítico. FONTE: O Globo Online – 28/07/2008

Um dicionário para levar no bolso


Mede aproximadamente nove por seis centímetros e apenas a sua espessura de dois milímetros o torna ligeiramente mais volumoso do que um cartão de crédito. Parece-se muito com uma calculadora. Mas é um dicionário de bolso. Ou pode ser. Para já, é um projeto do engenheiro informático Nuno Martins. Nuno acha que a sua “invenção já foi inventada”. Dicionários portáteis há muitos por esse mercado fora, no mundo inteiro. A originalidade deste seu projeto reside apenas em dois pequenos aspectos: a dimensão [o tal cartão de crédito que o torna verdadeiramente portátil] e o preço – dois euros. No mercado, o mais barato que encontramos era 40 dólares [€25] e o mais caro a 500 [€315]. Por agora, o engenheiro confronta-se com um problema de fundo: onde arranjar um dicionário de português? Ao fim de dois anos percebeu que as editoras são donas das palavras e nenhuma das contatadas – entre as que não o ignoraram simplesmente – se mostrou sensível ao projeto. FONTE: Expresso [Portugal] - 26/07/2008 – por Luísa Meireles

Livros didáticos digitais


Assim como a Apple fez com que milhões de estudantes universitários abandonassem suas coleções de CD desde setembro em favor de um minúsculo iPod, a Amazon está tentando convencer estudantes de que não há nenhuma razão para carregar uma mochila cheia de livros didáticos. Basta comprar um Kindle. Neste outono, a Princeton University Press irá começar a publicar edições-Kindle de livros didáticos. Há uma curta lista de editoras que estão testando o livro didático digital. Mas a Princeton é a única a tentar um primeiro lançamento com o Kindle, oferecendo o novo livro de economia de Robert Shiller, The Subprime Solution, no leitor eletrônico da Amazon, duas semanas antes que estudantes possam comprar uma cópia em papel. O Kindle está realmente destinado a substituir livros comuns, não livros didáticos espessos. FONTE: The Christian Science Monitor – 24/07/2008 – por Chris Gaylord

Sony adota EPUB para Reader


A partir do início de agosto, todos os novos dispositivos Sony Reader, leitor de livros eletrônicos da Sony, irão utilizar o formato EPUB, o padrão do International Digital Publishing Fórum. Os proprietários de dispositivos existentes podem ir para http://esupport.sony.com para atualizar o software. Brennan Mullin, vp de áudio da Sony, disse que a adoção do EPUB deve incentivar mais vendedores, livrarias e editoras a se envolver com o mercado do e-book e ampliar a quantidade de conteúdos que podem ser vistas pelo Reader. A passagem para a utilização EPUB é uma mudança significativa na abordagem para a Sony, que tem utilizado as suas próprias normas e restrições para os consumidores comprarem e-books para o leitor de sua própria loja. A utilização do EPUB vai permitir que os consumidores comprem títulos a partir de uma variedade de pontos-de-venda e irá crescer o número de títulos compatíveis com o leitor. FONTE: PW Daily – 24/07/2008 – por Jim Milliot

Sony adota ePub para Reader


A partir do início de agosto, todos os novos dispositivos Sony Reader, leitor de livros eletrônicos da Sony, irão utilizar o formato EPUB, o padrão do International Digital Publishing Fórum. Os proprietários de dispositivos existentes podem ir para http://esupport.sony.com para atualizar o software. Brennan Mullin, vp de áudio da Sony, disse que a adoção do EPUB deve incentivar mais vendedores, livrarias e editoras a se envolver com o mercado do e-book e ampliar a quantidade de conteúdos que podem ser vistas pelo Reader. A passagem para a utilização EPUB é uma mudança significativa na abordagem para a Sony, que tem utilizado as suas próprias normas e restrições para os consumidores comprarem e-books para o leitor de sua própria loja. A utilização do EPUB vai permitir que os consumidores comprem títulos a partir de uma variedade de pontos-de-venda e irá crescer o número de títulos compatíveis com o leitor.

PW Daily – 24/07/2008 – por Jim Milliot

Biblioteca Acessível


A primeira etapa do projeto Biblioteca Acessível que permite aos portadores de deficiência física, idosos e semi-analfabetos realizarem pesquisas nos acervos físicos e digitais da Fundação Biblioteca Nacional [FBN], no Rio de Janeiro, foi lançada na segunda-feira, dia 21 de julho. Além de capacitar técnicos para o atendimento desse público específico, serão instalados equipamentos na Divisão de Obras Gerais e softwares no Portal da FBN, tais como ampliadores de textos eletrônicos, leitores autônomos, scanner de livros com linhas Braille, folheadores automáticos de livros, teclados e mouses especiais, impressoras Braille e programas para leitura de textos que fazem reconhecimento de voz. O projeto – que foi desenvolvido em janeiro deste ano pela Acessibilidade Brasil, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – servirá como modelo para o Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas [SNBP], responsável pela coordenação e implantação de unidades pelo Brasil. FONTE: Ministério da Cultura – 23/07/2008 – por Marcelo Lucena

Biblioteca da Universidade de Coimbra e Google assinam acordo


A Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra (BGUC) é a primeira de Portugal a aderir ao sistema de pesquisa de livros do Google, disponibilizando 600 obras no âmbito de uma parceria com a empresa norte-americana. “Somos a primeira biblioteca do país a fazer um acordo com o Google. Vão ser digitalizadas as 600 obras de edição própria que vão ficar disponíveis a utilizadores de todo o mundo”, disse à agência Lusa Carlos Fiolhais, diretor da BGUC. O acervo da Biblioteca Geral que, numa primeira fase, vai ser disponibilizado pela ferramenta de pesquisa de livros associado ao motor de busca, integra monografias, separatas e publicações periódicas de grande interesse histórico-cultural e prestígio, como os Acta Universitatis Conimbrigensis e a Revista da Universidade de Coimbra. “Algumas edições estão esgotadas, outras são muito raras e difíceis de encontrar. O Google vai ter os conteúdos integrais, permite a qualquer utilizador ir ao interior da obra”, acrescentou. FONTE: Diário Digital (Portugal) – 23/07/2008

Antigo manuscrito da Bíblia estará disponível na Internet


Mais de 1.600 anos depois de ser escrita em grego, uma das cópias mais antigas da Bíblia se tornará globalmente acessível via Internet pela primeira vez esta semana.  A partir de quinta-feira, dia 24, Codex Sinaiticus, que contém o Novo Testamento mais velho e completo, estarão disponíveis na Internet, afirmou a Universidade de Leipzig, um dos quatro conservadores do texto antigo. Imagens em alta resolução do Evangelho de Marco, diversos livros do Velho Testamento e observações dos trabalhos feitos ao longo de séculos estarão em www.codex-sinaiticus.net, em um primeiro passo para a publicação online integral do manuscrito até julho próximo. Ulrich Johannes Schneider, diretor da Biblioteca da Universidade de Leipzig, afirmou que alguns textos estarão disponíveis com traduções em inglês e alemão. Especialistas acreditam que o documento possa ser a cópia mais antiga conhecida da Bíblia, junto com o Codex Vaticanus, outra versão antiga do livro, colocou Schneider. FONTE: Reuters – 21/07/2008 – por Dave Graham

Google nos quer lendo


O Google tem discretamente escaneado livros como parte de sua ambição de criar um arquivo digital de cada obra que tenha vivido ou morrido. O Google “reader” irá indicar uma editora ou uma biblioteca ou algum local para obtê-lo. Quando começou, os editores pegaram em armas sobre o fato da presunção do Google de que eles poderiam digitalizar primeiro e depois se preocupar com direitos autorais. Nós não ouvimos muitos protestos agora, alguns separadamente nos EUA. Isto é porque a maioria dos editores já assinaram um acordo que permite a qualquer pessoa ler até 20 de um livro de graça. Alguns editores descobriram que quanto mais eles permitem ao leitor ler, mais vendas são geradas. Esta é uma das razões – juntamente com a explosão dos títulos print-on-demand (outro fenômeno digital) – que empurraram a venda de livros em até 36 em 2007. Fonte: The Guardian – 17/07/2008 – por Victor Keegan

eReader no iPhone e iPod


Um dos mais conhecidos formatos de livro eletrônico, o eReader, em uso há mais de uma década e com centenas de milhares de clientes, agora está disponível para iPod e iPhone. O eReader permite a transferência direta sem fio de seu conteúdo para o dispositivo de armazenamento interno para leitura offline e suporta a leitura de imagens, vários estilos e tamanhos de fonte, tabela de conteúdos, notas de rodapé, barras laterais, dicionário integrado e outros recursos avançados. EBooks típicos têm cerca de metade de um megabyte de tamanho, ou seja, pode-se facilmente armazenar centenas de livros eletrônicos no aparelho e ainda tem muito espaço para fotos, música e outros conteúdos. O eReader é o formato escolhido por muitos ávidos entusiastas do livro eletrônico. FONTE: Publishnews – 16/07/2008

Novas normas ortográficas estão em livro on-line


O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa já está em vigor em O endireita, de Edson Athayde – primeiro livro de ficção do mundo em conformidade com as novas regras, que chega este mês à internet. Trata-se de uma série de 14 contos com capa, prefácio e paginação, podendo ser folheada, tal como um livro, com linguagem voltada para a internet. O livro está disponível on-line gratuitamente para qualquer leitor. A publicação descreve personagens comuns do cotidiano de uma forma inteligente e gostosa de ler. Em algumas partes do livro, o gosto pessoal do autor se confunde com o dos personagens e assim Aretha Franklin, Madonna e até Charles Chaplin ganham vida na narrativa. Os personagens do livro, bem como suas histórias, inspiraram o produtor e diretor teatral José Henrique de Paula a encenar uma peça baseada em “O Endireita”. A previsão é que ela deverá estrear entre outubro e novembro, em São Paulo. FONTE: PublishNews - 10/07/2008

Nova ferramenta para a literatura


O Canal do Livro, iniciativa da empresa Retoque Assessoria e Comunicação que transforma obras literárias em ferramentas educativas, acaba de ser escolhido pelo Ministério da Cultura para integrar o Banco Mundial de Recursos Multimídia. A empresa passa a disponibilizar, gratuitamente, LivroClips baseados em obras da literatura clássica. Títulos como Os Lusíadas, Dom Quixote e o Inferno de Dante estão entre elas. O objetivo da iniciativa é contribuir para a melhoria da qualidade da aprendizagem colocando à disposição dos estudantes uma coleção com o que há melhor em recursos multimídia. Os LivroClips também vão fazer parte do Portal do Professor para disseminação da cultura de uso nas escolas brasileiras. Conheça o conteúdo acessando o site. FONTE: PublishNews - 08/07/2008

Transmissão online tem grande número de acessos


Os apaixonados por literatura que não compareceram à Flip, em Paraty, não tiveram motivos para ficar de fora da Festa. Isso porque esta 6º edição contou com uma grande inovação: a transmissão de todas as mesas ao vivo pela internet através do hotsite. A idéia de democratizar o acesso dos debates deu certo. Prova disso é que no primeiro dia do evento foram registradas cerca de 1.500 visitas ao site, com mais de 7 mil page views. No segundo dia, este número subiu para 4 mil visitas e mais de 20.500 page views. Vídeos e textos sobre todas as atividades também foram disponibilizados no blog oficial da Flip e no canal de vídeos, que já figura como destaque na home page do Youtube. FONTE: PublishNews – 06/07/2008

Biblioteca democrática


A partir de julho, os portadores de deficiência física e idosos de todas as regiões do País poderão ter acesso ao acervo de livros da Biblioteca Nacional. A instituição está finalizando a primeira parte do projeto “Biblioteca Acessível”, que permitirá o acesso às publicações por meio de equipamentos de última geração. A estrutura conta com ampliadores de textos eletrônicos, leitores de livros autônomos, linhas Braille, folheadores de livros automáticos, teclados e mouses especiais, além de impressoras Braille e programas para leitura de textos que fazem reconhecimento de voz. A ONG Acessibilidade Brasil foi responsável pelo desenvolvimento da “Biblioteca Acessível” e a idéia é estender o projeto para todas as instituições que fazem parte do sistema brasileiro de bibliotecas. FONTE: CBL INFORMA SEMANAL – Edição nº 480

Como você acha que serão as livrarias do futuro?


A avalanche digital já fez diversas vítimas – máquinas fotográficas convencionais, aparelhos de fax, toca discos e gravadores cassete são apenas alguns exemplos. Outros mercados vão também se transformando por força das novidades tecnológicas, tais como jornais impressos, turismo e setor bancário. Isso, é claro, está obrigando várias empresas a rever seus modelos de negócio. Uma empresa que tenta se reinventar é a rede de livrarias Borders, que anda preocupada não apenas com o baixo índice de leitura nos EUA – pesquisa da Associated Press mostrou que 1 em cada 4 americanos não leu nenhum livro em 2006 – mas também com a concorrência dos ebooks, cujas vendas crescem a uma proporção de 56% ao ano desde 2002. Vale dizer que os livros tradicionais ainda dominam o mercado editorial americano. As vendas de livros para adultos somaram US$ 5,1 bilhões no ano passado, mas o número de unidades vendidas ficou estagnado.

Blue Bus | 03/07/2008 | por Luiz Alberto Marinho

O mago


Paulo Coelho fechou contrato com a Apple. Quem comprar o iPhone 3G, novo modelo da companhia receberá, gratuitamente, a versão digital completa do livro O alquimista, informa Ancelmo Gois. >> O Globo – 02/07/2008 – por Ancelmo Gois

ROMANCE NO GOOGLE MAPS


A TECNOLOGIA VEM CRIANDO FORMAS INÉDITAS DE LITERATURA

Sou viciado em leitura. E, por gostar tanto de 1er, fico à vontade para criticar o fetichismo do papel. A tecnologia básica do livro foi inventada por Gutemberg em 1450. Os egipcios já escreviam em papiro há quase 4 mil anos. Essa é uma tecnologia que mata árvores, polui o meio ambiente, necessita de um monte de combustível para o transporte. No entanto, meu apartamento está lotado de livros. Eu gosto deles! Sinto uma sensação de conforto ao abrir um bom livro de papel numa velha poltrona junto a uma lareira com um cachorreo peludo a meus pés.

Mas eu comia carne, tomava banhos de meia hora, andava de carro até a esquina, e parei de fazer essas e outras coisas. 0 velho volume de papel ainda reinará por um bom tempo, mas acabará mostrando o que virou – uma tecnologia completamente obsoleta de registrar e espalhar textos. No momento em que monitores de leitura de e-books estiverem disponíveis ao público, bem mais baratos, vira a revolução. Mas ela nãoo se limita à mídia. As revoluçoes tecnológicas por minuto estão gerando formas inéditas de literatura.

A bola foi levantada por Barrett Sheridan, colunista de tecnologia da revista Newsweek. Sheridan citou varias experiências nesse sentido. Uma das mais interessantes é o “livro” The 21 Steps, de Charles Cumming [ www.wetellstories.co.uk/stories/week ]. A história é narrada dentro do Google Maps. Cummings aponta no mapa o lugar exato onde o narrador inicia sua história – a estação de trem de St. Pancrass, no centro de Londres. você clica no ícone e um pop-up começa anarrativa – “Eu era o homem errado, no lugar errado, na hora errada”. Ele passeia entre os passageiros do Eurostar e decide paquerar estudantes no Museu Británico. Aí uma linha passa por Londres seguindo os passos do narrador até um ponto exato no museu onde está o próximo ícone. Clique e você fica sabendo em outro pop-up que um desconhecido lhe entregou um pen drive pouco antes de morrer. E assim segue a narrativa, de pop-up em pop-up, seguindo os passos do personagem. Se ele passa por uma estatua, você clica e vê a estátua. Se ele entra num restaurante,você está de frente para a fachada. A narrativa perde em estilo com isso? Ou ganha uma inesperada dimensão sem limites?

The 21 Steps é apenas uma dessas experiências literárias digitais. Os três maiores best-sellers do ano passado no Japãoo foram livros para serem lidos em celulares. A propria editora Penguin tentou criar o primeiro livro coletivo de todos os tempos, usando o conceito de wiki. Era um romance em que qualquer um podia mexer e modificar o texto. Não deu certo. A revista Slate lançou uma novela de Walter Kirn que narrava sua história por escrito usando hiperlinks e multimídia. Os mais conservadores vão torcer o nariz para essas experiências. É assim que as verdadeiras revoluçoes acontecem – sob o signo do desprezo.

FONTE: Coluna do Dagomir Marquezi, Info Exame de Julho de 2008